Meu pequeno país
Loading...
Tradução: Maria de Fátima Oliva do Coutto
Idioma: português
Traduzido do: francês
Ano de publicação: 2019
Encadernação: brochura
ISBN: 978-85-67861-27-2
Formato: 14 x 21 cm
País: França
Gaël Faye

Meu pequeno país

Burundi, 1992. Gabriel, 10 anos, mora com o pai francês, um empresário, a mãe ruandesa e a irmã caçula, Ana, em um bairro nobre de Bujumbura, onde a maior parte dos moradores são membros de uma comunidade de estrangeiros. Gabriel passa a maior parte do tempo com os amigos e companheiros de aventuras, uma alegre brigada que se ocupa do roubo de mangas dos vizinhos e organiza um comércio clandestino de cigarros Supermatch. Mas essa existência despreocupada é prematura e brutalmente interrompida pela História. Primeiro, Gabriel assiste, impotente, à separação de seus pais; depois, ao início da guerra civil, seguida pela tragédia do genocídio ruandês. Gabriel, que sempre se via apenas como uma criança qualquer, começa a se descobrir mestiço, tútsi, francês. Com uma leveza e uma elegância raras, Gaël Faye consegue evocar os tormentos e as inquietações de um menino preso no mecanismo inexorável da História, tentando lidar com eventos que o obrigam a amadurecer mais cedo do que o previsto. São sensações que o autor conhece pessoalmente, o que torna este primeiro romance — repleto de momentos trágicos e de humor, de luzes e sombras — ainda mais excepcional.

R$59,50

Em estoque
ASSINANTES : R$ 29,75
“Gaël Faye é uma revelação. Meu pequeno país é um romance brilhante e cativante sobre infância, guerra, exílio e a questão da identidade (...) Trata-se de literatura em sua forma mais poderosa.”
Le Parisien Magazine
“Este lindo romance de passagem à idade adulta transmite um anseio angustiante por gentileza e harmonia. O resultado é uma visão do mundo — uma visão não política, mas poética — que tenta encontrar equilíbrio entre o horror e a maravilha.”
Le Figaro
“Um retrato que evoca o significado de perder a própria liberdade e a inocência (...) é um escritor imensamente promissor e de grande elegância.”
Chigozie Obioma, autor de Os pescadores
gaël faye
gaël faye