Formato

14 cm x 21 cm

Idioma

Português

Tradutor

Alexandre Barbosa de Souza

ISBN

978-85-67861-26-5

País

Estados Unidos

Finalista do National Book Award
Primeiro da Trilogia da planície
Mais de 1.000 reviews na Amazon (média 4.3, confira)
Mais de 55.000 ratings no Goodreads (média 4.2, confira)

O livro

Canto da Planície, publicado originalmente em 1999, é o terceiro romance de Kent Haruf e o primeiro da Trilogia da planície. O título original, Plainsong, é uma alusão a um estilo de canto praticado nos primeiros séculos do cristianismo. E, assim como, nesse tipo de canto, as vozes graves dos coros e dos solistas se alternam, Haruf, igualmente, entrelaça as histórias de vários moradores de Holt, um lugar fictício mas representativo dos povoados do oeste americano: uma adolescente grávida expulsa de casa, um professor abandonado pela esposa, que sofre de depressão, os dois filhos dele, ainda garotos, e dois velhos irmãos fazendeiros que moram numa casa isolada fora da cidade. A partir desses elementos simples, Haruf constrói uma narrativa permeada de imensa delicadeza, mas também de grande tensão emotiva, em um ritmo crescente que, por meio das vozes aparentemente secas e tímidas dos personagens, envolve o leitor e o transporta para a atmosfera de Holt. Ao ser publicado, Canto da planície obteve imediato e extraordinário sucesso de público e de crítica, tornando-se um best-seller e fazendo de Kent Haruf, da noite para o dia, uma celebridade literária.

” Um romance cativante e cheio de compaixão humana… Lançando mão de seu imenso talento como contador de histórias, Kent Haruf conseguiu evocar uma comunidade inteira, mergulhando o leitor em seus dramas.”

Michiko Kakutani, THE NEW YORK TIMES

Aqui estava Tom Guthrie, em Holt, de pé diante da janela da cozinha, nos fundos da sua casa, fumando um cigarro e olhando para o lado de fora, na direção do terreno atrás da propriedade, onde o sol, naquele momento, estava começando a aparecer. Quando o sol alcançou o topo do moinho de vento, o homem ficou um tempo observando a luz, que se tornava cada vez mais vermelha nas pás de aço e na cauda, acima da plataforma de madeira.

“Pelo que eu saiba, a coragem e o nível que Haruf alcançou em sua exploração das formas simples de amor — o eterno estado de frustração, o custo de um longo prazo de lealdade, o conforto do carinho cotidiano — não têm iguais na ficção contemporânea.”

URSULA K. LE GUIN

A paisagem era muito plana e arenosa outra vez, as árvores baixas nas fazendas isoladas, as estradas de terra indo exatamente para o norte e para o sul, como linhas de um livro ilustrado para crianças. Havia cercas de quatro ripas contornando as valas de drenagem, as vacas pastando com os bezerros atrás das cercas de arame farpado, e aqui e ali uma égua alazã com um potrinho recém-nascido, e bem longe no horizonte, ao sul, os areais, que pareciam azulados como ameixas.

“Haruf orquestra a convergência narrativa de seus personagens com tanta autoridade e elegância que suas histórias se materializam bem diante dos olhos do leitor, sem artifício algum.”

Michiko Kakutani, THE NEW YORK TIMES

Lá dentro, a luz da cozinha se acendeu... Ela abriu a porta e saiu, ainda olhando para a casa e para o velho de pé na varanda. Então, Harold apareceu ao lado do irmão. Os dois ficaram de pé, imóveis, olhando para ela, que caminhou lenta e pesadamente até a varanda, inclinando-se um pouco para trás a fim de equilibrar o peso. Ela parou ao pé da escada e olhou para os dois na varanda, no ar fresco da noite. O vento soprava forte. O casaco de inverno, agora apertado, estava aberto na barriga, e as abas batiam nos quadris e nas coxas. Sou eu, disse. Eu voltei.

O autor

Kent Haruf, nascido em Pueblo, Colorado, em 1943, filho de uma professora e de um pregador da igreja metodista, é internacionalmente aclamado por seus romances delicados e sutis sobre a vida no interior do oeste dos Estados Unidos. Ao lado de Cormac McCarthy, Richard Ford e Annie Proulx, Haruf é considerado um dos pioneiros na criação de um moderno épico americano. Depois de se formar na Nebraska Wesleyan University em 1965 e de um breve período como voluntário da Peace Corps na Turquia, começou a escrever contos. Em 1973, foi aceito no prestigioso curso de Escrita Criativa na Universidade de Iowa e, em 1976, tornou-se professor assistente na Southern Illinois University, instituição na qual, por dez anos, ensinou ficção. Em 1984, ecreveu seu primeiro romance. No total, publicou seis romances, inclusive a Trilogia da planície, considerada sua obra-prima. Em 2000, voltou para o Colorado, para morar, com sua segunda esposa, em Salida, nas Montanhas Rochosas. Ali morreu, aos 71 anos, em 2014.

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}